A consulta nacional dos bancários, realizada durante o mês de julho em todo País, tem mostrado as principais reivindicações da categoria para este ano. O Sindicato dos Bancários do Acre revelou que os bancários acreanos querem nesta campanha salarial 15,25% de reajuste salarial.

No Acre, cerca de 600 bancários participaram e responderam a Consulta Nacional sobre as prioridades para a Campanha este ano. Segundo o presidente em exercício, Edvaldo Almeida, os índices já foram encaminhados à Contraf-CUT, que computará os resultados nacionais.

Consulta aponta novo crescimento do assédio moral dentro das agências bancárias
Assim como nos últimos anos, o combate ao assédio moral e o fim das metas abusivas foram pontos que chamaram atenção da consulta. O item combate ao assédio moral dentro das agências foi apontado por 492 dos consultados (86%) como prioridade nesta Campanha Salarial. Um crescimento de 8% em relação à consulta do ano passado. Enquanto o combate ao fim das metas abusivas foi apontado por 449 dos entrevistados, um percentual de 78,5%, crescimento 2,42% em relação à consulta do ano passado.

Mais contratações
A consulta apontou um grande crescimento no requisito mais contratações. 72,5% dos entrevistados (415) querem mais contratações e o fim das demissões. No ano passado a consulta neste item apontou 49,36%, assim registrando neste ano um crescimento de 23,14 pontos percentuais. Outro ponto da consulta que chamou atenção diz respeito a terceirização nos serviços bancários, onde a consulta apontou que 62,5% (358) entrevistados querem o fim dessa relação de trabalho nas agências.

Remuneração
Com salários defasados desde o último trimestre do ano passado, 83,75% dos bancários consultados pedem aumento real acima da inflação. Outro dado interessante dos entrevistados diz respeito ao piso ampliado, onde 55% consultados também acharam prioridade na campanha salarial da categoria que será lançada em todo o país a partir do próximo mês. Em relação à Remuneração Fixa Indireta 63,75% pedem o auxílio babá de um salário-mínimo e 77,5% reclamam uma cesta alimentação maior. Outro dado interessante diz respeito à Participação nos Lucros e Resultados (PLR), onde 90% dos bancários consultados exigiram por parte dos patrões uma maior PLR e outros 78,4% querem o não desconto da PLR nos programas próprios.

Segurança Bancária
72% (412) pedem adicional de risco de 30% nas agências, postos e tesouraria, enquanto 25% (143) querem o fim da guarda das chaves pelos bancários. 22,5% (128) consultados responderam por mais portas giratórias e detectores de metais, 18% (103) exigem biombos (tapumes) em frente aos caixas.

Mobilização
Mais da metade dos entrevistados, 55%, responderam que estão dispostos a participar da Campanha Salarial deste ano, onde 50% estão com intenção de aderir a uma possível greve. A consulta apontou ainda que 55% dos bancários estão convencidos a participar das assembleias.

A data-base dos bancários começa a partir de 1º de setembro, mas na primeira quinzena de agosto, ocorre a entrega da minuta de reivindicações aos representantes da Fenaban.

Fonte: Manoel Façanha/SEEB-AC

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster