Crédito: Seerb Bahia
Seerb BahiaTrabalhadores consideraram um desrespeito a proposta dos bancos

Uma lição à altura do que merecem os banqueiros. Na assembleia da noite desta segunda-feira (7), em Salvador, para avaliar a nova proposta da Fenaban (Federação Nacional dos Bancos), apresentada na sexta-feira (4), os bancários rejeitaram-na em massa e assumiram o compromisso de intensificar ainda mais os esforços para ampliar a greve em todo o Estado da Bahia.

Na assembleia, que durou cerca de 2h, os trabalhadores foram unânimes em condenar os 7,1% oferecidos pelos bancos. Consideraram um desrespeito, se levado em conta que o sistema financeiro é, disparadamente, o segmento mais lucrativo da economia nacional.

Apenas os seis maiores bancos em operação no país – BB, Itaú, Bradesco, Caixa, Santander e HSBC – tiveram lucro líquido de R$ 30 bilhões no primeiro semestre.

O presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Euclides Fagundes, não tem dúvida. “Os bancos podem oferecer muito mais. A única saída é a radicalização da greve”.

Nesta quarta-feira (9), às 16h30, os trabalhadores realizam uma nova passeata, no Centro de Salvador. Na quinta-feira (10), às 18h30, no Ginásio de Esporte, a categoria volta a se reunir em assembleia.

Negociação

A Comissão de Trabalho da Câmara Federal, através do deputado baiano Daniel Almeida (PCdoB), se movimenta nesta terça-feira (8) para garantir a votação imediata da proposição que cobra da Fenaban a retomada imediata das negociações com a apresentação de uma proposta justa.

O deputado estadual Álvaro Gomes (PCdoB), funcionário do Bradesco, considera um absurdo a postura dos bancos de suspender as negociações. Acha um desrespeito para toda sociedade. 


Fonte: Contraf-CUT com Seeb Bahia

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster