Crédito: Seeb Porto Alegre
Seeb Porto AlegreAssembleia dos banrisulenses recusa por unanimidade proposta do banco

A terça-feira (22), o 34º dia da greve dos bancários do Banrisul, pode ser resumida em três atos. Depois de uma nova mesa de negociação com a direção do banco, os banrisulenses deram uma resposta com a unidade que tem caracterizado a greve em Porto Alegre. Em uma assembleia lotada, no salão da Igreja da Pompéia, a nova proposta do Banrisul foi rejeitada por unanimidade. A greve continua por tempo indeterminado.

A esses dois atos, somou-se uma caminhada nas ruas do centro da capital gaúcha até o edifício-sede do banco. Lá, a notícia da continuidade da greve foi dada à direção do banco de forma presencial. Segundo avaliação do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, cerca de 1 mil banrisulenses participaram da marcha até a Direção-Geral (DG).

Para esta quarta-feira (23) foi definido um novo calendário de mobilização e uma nova assembleia, desta vez no Clube do Comércio. Os banrisulenses estão convocados a participarem, a partir das 8h, do Ocupe a Caldas Junior. Ao meio-dia, haverá o ato “Grito de Não” à proposta da diretoria do banco. E as 14h, terá nova assembleia.

Negociação e compensação dos dias parados

A negociação com a direção do banco teve dois momentos. Num primeiro, o Comando Nacional dos Banrisulenses apresentou um resumo dos itens que já constam na pauta específica, mas que não haviam sido contemplados nas propostas apresentadas pela diretoria nas duas mesas de negociações anteriores em 17/9 e 11/10.

Menos de uma hora após o início da mesa de negociação, os representantes da diretoria do Banrisul solicitaram um intervalo para avaliarem a proposta do Comando. Uma hora depois, os negociadores do banco retornaram. Apresentaram um novo regime de compensação das horas paradas como novidade e nada disseram sobre os outros itens. 

Os banrisulenses teriam que compensar os dias de greve entre 15 e 22 de outubro (se a greve terminasse nesta terça-feira), com uma hora extra por dia entre 15 e 31 de dezembro. São nove dias úteis, cerca de 25% do total de horas paradas na greve do Banrisul. A compensação começaria após o término da compensação das horas de greve da Fenaban, que vai até 15 de dezembro.


Fonte: Contraf-CUT com Seeb Porto Alegre

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster