Subiu para 17 o número de ataques a bancos em Mato Grosso. O último assalto ocorreu na terça-feira (16) na agência Sicred de Cocalinho, distante a mais de 900 km de Cuiabá.

Os bandidos renderam o gerente e mais dois funcionários após o expediente em suas residências, em seguida levaram os empregados para o banco para abrir o cofre. As famílias foram feitas reféns durante o assalto e libertadas em seguida. A quantia roubada não foi comunicada.

O Sindicato dos Bancários de Mato Grosso destaca que ações deste tipo não podem continuar atemorizando a rotina dos trabalhadores do ramo financeiro. Para o presidente do Sindicato, Arilson da Silva, os ataques nas agências ocorrem com uma freqüência preocupante e os bancos não apresentam nenhuma resposta para esta situação.

"Ao conversarmos com os bancários, observamos que eles trabalham com medo de sofrer assalto. É lamentável que trabalhadores e familiares sejam reféns de criminosos que agem sem nenhum empecilho nos bancos", diz Arilson.

"É mais do que urgente o investimento em segurança bancária com a instalação de portas giratórias na entrada, câmeras ao redor das agências para identificar os ladrões, entre outros. Trabalhar em agências bancárias se tornou uma profissão de risco. Enquanto os bancos lucram cada vez mais, os empregados trabalham em ambientes inseguros. Vamos manter nossa reivindicação por mais segurança bancária, inclusive nossa Campanha Salarial também destaca esta necessidade", observa o presidente.

Os dados do Sindicato demonstram que a atuação de bandidos nos bancos do Estado são frequentes. Com o assalto ao Sicredi de Cocalinhos, são 17 ações. Em 2010, foram 19 entre tentativas e assaltos.

Fonte: Seeb-MT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster