Em reunião ocorrida com o HSBC nesta quarta-feira (23), em São Paulo, a pedido do Sindicato dos Bancários de Curitiba, com a participação da Contraf-CUT, Fetec-CUT/PR e Sindicato dos Bancários de São Paulo, os dirigentes sindicais cobraram os devidos esclarecimentos e o pagamento integral da regra básica na antecipação da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), que será feita na próxima segunda-feira, dia 28.

Conforme estudo do Dieese, o banco inglês apresentou lucro líquido de R$ 454 milhões no primeiro semestre de 2013, o que garante a distribuição de R$ 58,2 milhões a título de antecipação da PLR. Para contemplar os 20.133 funcionários, conforme a convenção coletiva seria necessário aproximadamente o montante de R$ 63 milhões.

Pela regra básica, cada funcionário terá direito a receber 54% do salário reajustado mais valor fixo de R$ 1.016,40, limitado em R$ 5.452,49. No entanto, o banco informou que aplicará um redutor de 9,67% para distribuir os 12,8% do lucro líquido no primeiro semestre. Já a parcela adicional, que é de 2,2% do lucro no primeiro semestre, representará a distribuição linear de R$ 520,20, ficando bem abaixo do teto de R$ 1.694,00, previsto na convenção coletiva.

Os dirigentes sindicais foram incisivos em não concordar com a aplicação do redutor, uma vez que os bancários fizeram a sua parte, gerando um lucro bruto de cerca de R$ 3 bilhões e não tendo nenhuma responsabilidade sobre os provisionamentos efetuados e nem sobre os ajustes contábeis lançados no balanço, que impactaram negativamente os resultados.

Outro argumento importante é o fato de constar já provisionado no balanço semestral o montante de R$ 188 milhões para pagamento a título de PLR, o que significa três vezes mais do que o valor projetado para o pagamento da antecipação da PLR.

O HSBC se comprometeu a discutir internamente a proposta apresentada pelos dirigentes sindicais, ficando de dar uma resposta para as entidades até sexta-feira. “Queremos que o banco entenda que o pagamento da antecipação da PLR sem redutor será um fator de motivação para os bancários, que contribuem cotidianamente com os resultados do HSBC”, disse Otávio Dias, presidente do Sindicato dos Bancários de Curitiba.

Para Miguel Pereira, secretário de Organização da Contraf-CUT, “o HSBC tem reais condições de atender à reivindicação de pagamento integral da antecipação da PLR porque, apesar de ter lançado R$ 1,8 bilhão como Provisionamento para Devedores Duvidosos (PDD), não tem qualquer problema de caixa e, com isso, reconhecer a dedicação sobre-humana da equipe de funcionários”.

Diferenças salariais

O HSBC informou que pagará as diferenças salariais referentes ao reajuste de 8% dos meses de setembro e outubro já nesta folha de pagamento, a ser creditada nesta sexta-feira.

Diferenças de VA, VR e 13ª cesta

Já as diferenças referentes ao vale-refeição e vale-alimentação, assim como ao pagamento da 13ª cesta-alimentação, serão creditadas no próximo dia 30.

Vale-cultura

O banco anunciou que a nova conquista dos bancários poderá ser usufruída a partir de janeiro de 2014, conforme garante a convenção coletiva. O vale-cultura será R$ 50,00 por mês para funcionários que recebem até cinco salários mínimos, acumuláveis.

Participação

Além de Otávio e Miguel, participaram da reunião o presidente da Fetec-CUT-PR, Elias Jordão, o coordenador nacional da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC, Carlos Alberto Kanak, os diretores do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Raquel Kacelnikas e Luciano Ramos, além de assessores do Dieese.

Pelo HSBC, compareceram o diretor de Relações Institucionais, João Rached, os relações sindicais Antônio Carlos e Gilmar Lepchack, a nova diretora de RH, Alexandra Roth, e o RH de Remuneração, Antenor Castro.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb Curitiba

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster