A Contraf-CUT, federações e sindicatos retomam nesta quinta-feira (17), às 14h30, o processo de negociação permanente com o Itaú, em São Paulo, buscando o atendimento das reivindicações específicas dos trabalhadores do banco. Estará em discussão a Participação Complementar nos Resultados (PCR) de 2013.

O Itaú lucrou R$ 7,1 bilhões no primeiro semestre de 2013, fruto do empenho e dedicação dos funcionários do banco. “Queremos valorização com o pagamento de uma PCR que amplie a participação dos trabalhadores nos resultados bilionários do maior banco privado do país”, afirma Wanderley Crivellari, um dos coordenadores da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Itaú, que assessora a Contraf-CUT nas negociações do banco.

“Precisamos aumentar o valor da PCR, que é uma conquista histórica dos trabalhadores do Itaú”, reforça Jair Alves, outro coordenador da COE do Itaú. No ano passado, o valor da PCR, que é paga de forma linear para todos os funcionários e sem compensação nos programas próprios de remuneração variável, foi de R$ 1.800.

Fonte: Contraf-CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster