Bancários querem atendimento das reivindicações específicas

A Contraf-CUT, federações e sindicatos retomam nesta terça-feira (28) a negociação da pauta específica de reivindicações com o Bradesco, em Osasco. Plano de cargos, carreira e salários, reabilitação profissional aos que retornem de afastamento por motivo de doença ocupacional e parcelamento do adiantamento das férias são alguns dos temas centrais que serão debatidos com o banco.

A pauta foi definida durante o Encontro Nacional dos Funcionários do Bradesco, ocorrido em Atibaia (SP).

A Campanha Nacional de Valorização dos Funcionários adotou este ano o tema “Homem de Lata”, numa alusão ao personagem do Mágico de Oz que queria ter um coração e ser tratado como gente.

Reivindicações específicas

– Emprego
– Fim do assédio moral e das metas abusivas
– Plano de cargos, salários e carreiras
– Remuneração total
– Programa de reabilitação profissional
– Parcelamento do adiantamento de férias
– Incentivo à diversidade cultural: vale-cultura
– Programa Treinet no horário de trabalho e sem pressão
– Igualdade de oportunidades
– Auxílio-educação
– Melhorias no plano de saúde
– Livre acesso do dirigente sindical aos locais de trabalho
– Respeito ao direito de greve
– Investimento na segurança

Expectativas

Para Andrea Vasconcelos, secretária de política sociais da Contraf-CUT e funcionária do Bradesco, a reunião tem expressiva relevância, pois será um momento para avaliar o verdadeiro compromisso do banco com os funcionários. “Ao final teremos uma diretriz sobre a tendência do posicionamento do Bradesco na Campanha Nacional”, avalia a dirigente sindical.

Para Elaine Cutis, diretora da Contraf-CUT e coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Bradesco, a reunião faz parte da ação sindical de negociação permanente e desperta nos trabalhadores a expectativa de mudança de postura do banco.

“O Bradesco tem de reavaliar sua conduta e atender as reivindicações como o parcelamento do adiantamento de férias. Trata-se de medida já adotada por outras instituições financeiras. A reabilitação profissional oferece proteção ao trabalhador. A remuneração traz valorização ao trabalhador, como também a adoção do vale-cultura”, salienta.

Elaine acredita que “atender as reivindicações é uma demonstração de valorização aos bancários que tanto se empenham para conquistar o crescimento do lucro da instituição”.

Fonte: Contraf-CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster