Crédito: Renato Costa
Renato Costa
Bancários seguem Campanha Nacional na luta por valorização da categoria

Com 11 dias de greve da categoria bancária, nesta sexta-feira (16) foi a vez dos trabalhadores de todas as agências do Santander e Bradesco de Juiz de Fora cruzarem os braços. Das 54 agências fechadas na Zona da Mata e Região, 37 são de bancos públicos. Sem uma resposta dos banqueiros intransigentes, os bancários seguem a Campanha Nacional 2015 incansáveis na luta por valorização econômica e social.

De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), das 22.975 agências que existem nno Brasil, na última quinta-feira (15) 11.818 agências e 44 centros administrativos interromperam as atividades em todo o país.

A mobilização da categoria é um reflexo da insatisfação com a proposta dispensada as reivindicações. Os bancos continuam obtendo lucros gigantescos, reduzindo postos de trabalho e realizando certames sem efetivação dos aprovados.

Como se não bastasse, as informações do Banco Central (Bacen) revelam que a taxa de juros ao ano nas operações com cartão de crédito rotativo são imensas. Os juros no Bradesco, por exemplo, chega a ter a taxa anual de 494,60% e o Santander 432,39% a.a. (segundo e quarto, respectivamente, no ranking de taxas).

Portanto, os bancários e bancárias continuam na luta pela valorização dos seus direitos e os banqueiros mantém 11 dias de silêncio. Duas semanas de desrespeito com a população, que depende dos serviços, e com os trabalhadores explorados. Assim, até o momento, não há previsão de uma nova negociação, pois os banqueiros continuam negligentes diante das manifestações reivindicatórias; apenas se articulam para tentar cansar a categoria e enfraquecer o movimento.

Fonte: Sintraf JF

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster