Crédito: Augusto Coelho
Augusto Coelho
Cristiane faz palestra no grupo que discutiu saúde e condições de trabalho

Saúde do trabalhador e condições de trabalho foi tema da palestra de Cristiane Queiroz, mestre em engenharia e gestão de segurança pela Escola Politécnica da USP e pesquisadora da Fundacentro, do Ministério do Trabalho e Emprego, que participou do painel Saúde Caixa, realizado neste sábado (18), durante o 29º Conecef, em São Paulo.

Acúmulo de tarefas, a intensificação da produtividade motivada por novas tecnologias, sobrecarga na jornada de trabalho, doenças e a visão da medicina do trabalho foram os principais pontos abordados pela especialista.

Cristiane alertou que os atuais problemas sofridos pelos trabalhadores têm ligação com a cultura da escala produtiva implantada em 1883, desafio a ser superado pelo setor financeiro.

A palestrante apontou que no início do século 20 a teoria de Taylorismo (1903-1911) já previa controle da produtividade individual por meio de incentivos salariais. “Acreditava-se que a baixa produtividade era tendência de desinteresse do trabalhador e atribuía os acidentes à negligência do trabalhador. As empresas não cultivavam o conceito de que cada trabalhador tem suas peculiaridades no modo de produção”, enfatiza.

A pesquisadora mostrou que, com a Revolução Industrial, a organização e divisão de trabalho que burgueses, comerciantes, financistas e industriais aplicavam por meio da produção em larga escala intensificavam o processo de sobrecarga de trabalho. “Os novos processos industriais que se propagaram até a Segunda Guerra Mundial geraram riscos a partir disto e o regime de terceirização começa a ser adotado”, relata.

A especialista ressalta que os médicos não admitiam que, de acordo com a função exercida e as condições precárias de trabalho, determinadas doenças se manifestavam. “Hoje, com a medicina ocupacional existe o conceito de construção com alinhamento de interesses”, destaca.

Ao final, ela apontou um avanço importante para proteger a saúde no trabalho, que é a portaria nº 1.823/2012, editada pelo Ministério da Saúde, que institui a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora.

Fonte: Contraf-CUT com Fenae

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster