A agência do Bradesco, no bairro de Vila Velha, em Fortaleza, foi assaltada na quinta-feira (8) por cinco bandidos. O assalto foi facilitado pela falta da porta de segurança com detector de metais, conforme destacou a reportagem exibida pelo noticiário CE TV – 2ª Edição, da Rede Globo. Os clientes entrevistados também reclamaram da ausência da porta giratória.

Os bancários e vigilantes reivindicam a instalação das portas de segurança antes do espaço de autoatendimento em todas as agências e postos de atendimento, com pequeno recuo em relação à calçada e com a colocação de um guarda-volumes para evitar qualquer tipo de constrangimento aos clientes. "Queremos segurança em todos os espaços das unidades, começando pelo autoatendimento, onde são realizadas cerca de 31% das operações dos clientes", afirma o secretário de imprensa da Contraf-CUT e coordenador do Coletivo Nacional de Segurança Bancária, Ademir Wiederkehr.

Os trabalhadores defendem que as instituições financeiras instalem mais equipamentos de prevenção contra assaltos, sequestros e extorsões. "Com lucros acima de R$ 27,4 bilhões somente no primeiro semestre deste ano, os bancos têm recursos de sobra para colocar portas de segurança, além da implantação de câmeras internas e externas com monitoramento em tempo real fora dos estabelecimentos controlados e vidros blindados nas fachadas", destaca o dirigente sindical.

"Além disso, queremos equipamentos para combater o crime da ‘saidinha de banco’ que apavora e mata, como os biombos entre a fila de espera e os caixas, e as divisórias individualizadas e opacas entre os caixas internos e os eletrônicos com altura adequada para garantir a privacidade das operações dos clientes", conclui Ademir.

Fonte: Contraf-CUT com CE TV – 2ª Edição

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster