Um funcionário do Santander de Itariri, no interior de São Paulo, foi abordado por dois sequestradores ao chegar em casa na tarde de segunda-feira (23). A mulher e o filho também foram rendidos e, segundo a polícia, levados para um cativeiro. 

O bancário foi separado de sua família e avisado pelos bandidos que iriam para agência bancária para realizar um grande saque e sofreu ameaças de que, se não o fizesse, sua família seria assassinada.

Na manhã desta terça-feira 24, os sequestradores pediram ao bancário para voltar para casa, trocar de roupa e saiu com seu carro até a agência. Ele sacou dinheiro e levou para os bandidos, que depois libertaram a mulher e o filho na rodovia Padre Manoel da Nóbrega, próximo a Peruíbe.


Após pegarem o dinheiro, os sequestradores fugiram de carro. De acordo com o delegado Fernando Rodrigues, eles estavam monitorando a vítima há 10 dias e cinco pessoas estavam envolvidas no sequestro. 


A Polícia Civil encontrou um dos dois carros, utilizados no sequestro, abandonado também na rodovia. Uma perícia técnica foi chamada para fazer o levantamento das impressões digitais dos bandidos. Todos os integrantes da família passam bem.


"O Sindicato foi até a agência, que permaneceu fechada nesta terça-feira, e falou com o funcionário. Também cobramos do banco que seja emitida da CAT e seja feito um acompanhamento psicológico com o bancário. O Santander se comprometeu a tomar todas as providências necessárias. Caso a agência abra nesta quarta-feira, serão enviados outros funcionários para o local", disse Roberto Fouto, presidente do Sindicato dos Bancários do Vale do Ribeira.


Fonte: FETEC-CUT/SP

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster