Nove dias de greve e a força dos bancários continua sendo o combustível no caminho de novas conquistas. Na ensolarada manhã desta sexta-feira (27), o frio não atrapalhou as paralisações, que atingem diversos centros administrativos, além de agências em São Paulo, Osasco e região.

Diante da falta de negociação e nova proposta que contemple reivindicações como aumento real para salários, piso, vales, auxílios e a PLR, o ITM do Itaú permaneceu fechado e cerca de 3,5 mil funcionários cruzaram os braços.

Na Verbo Divino, parte dos 2,2 mil trabalhadores também estão de braços cruzados. O CAT do Itaú, que possui cerca de cinco mil funcionários, também parou.

Outra concentração fechada nesta sexta-feira é o Casp, centro administrativo do HSBC, que possui cerca de 1,2 mil funcionários. E também o Telebanco do Bradesco, no bairro Santa Cecília, onde cerca de 2,7 mil empregados entre bancários e terceirizados trabalham no SAC, atendimento a agências e clientes entre outros serviços.

Na zona sul, o Casa 1 do Santander está fechado e aproximadamente 2,5 mil funcionários pararam. O mesmo acontece no Casa 3, que possui cerca de 2,1 mil trabalhadores, todos parados no nono dia de greve, conscientes que só com mobilização forte alcançarão novas conquistas.

Além das concentrações, pararam agências da Avenida Paulista e ruas adjacentes. Na zona leste aderiram agências da Celso Garcia, Antônio de Barros e Rangel Pestana. Na oeste, não abriram unidades na ruas Cardoso de Almeida, Turiassu, Doutor Homem de Melo, Ministro de Godói, além do bairro do Sumaré.

O centro de São Paulo, além de agências, permanecem parados prédios administrativos do Banco do Brasil na 15 de Novembro, Itaú Patriarca, complexo São João do Banco do Brasil, dentre outros.

Na região de Osasco, não funcionam diversos locais de trabalho nas cidades de Itapecerica da Serra, Cotia, Vargem Grande Paulista e Taboão da Serra.

Em busca de proposta descente

O Comando Nacional dos Bancários reuniu-se na tarde da quinta-feira 26, na sede da Contraf-CUT, em São Paulo, mas nenhum contato foi feito pelos bancos.

Clique aqui para ler a nota do Comando.

“Enviamos carta à Fenaban reiterando a disposição de negociar e aguardamos que retomem a mesa de debate”, informou Juvandia, presidenta do Sindicato e uma das coordenadoras do Comando. “Mas a greve está forte em todo o país e, ao lado dos bancários, os sindicatos vão fortalecê-la cada vez mais até que os banqueiros se mexam.”

Assembleia

Os bancários de São Paulo, Osasco e região realizam nova assembleia na terça-feira 1º, às 17h, na Quadra (Rua Tabatinguera, 192 – Sé) para avaliar e organizar o movimento. Leve crachá ou holerite com documento de identificação com foto para se credenciar.

Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster