Crédito: Seeb MT
Seeb MTBancários fortalecem movimento em Mato Grosso

Indiferença, esta é a resposta que os bancos vêm apresentando para os trabalhadores desde o início da greve. Nesta quinta-feira (3), a paralisação somou 15 dias de mobilização forte em Mato Grosso, contabilizando 209 agências fechadas. Esta é a maior greve nacional dos bancários dos últimos 20 anos na história e já são mais de 11.406 agências e centros administrativos nos 26 estados e no Distrito Federal.

Para o presidente do Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (SEEB-MT), José Guerra, os bancos demonstram claramente que não priorizam a população e os bancários, e só pensam em aumentar os lucros bilionários. 

“Nossa greve está cada vez mais forte em todo país. Vamos continuar firmes para arrancar uma proposta decente dos banqueiros que apelam e não nos valorizam. Os seis maiores bancos lucraram mais de 29,6 bilhões no primeiro semestre e insistem em dizem que não podem investir em mais segurança e mais contratações, por exemplo. Nossa luta é por melhorias para toda população”, disse. 

Os municípios que estão fortes na luta dos bancários são Cuiabá, Várzea Grande, Poconé, Cáceres, Campo Novo do Parecis, Lucas do Rio Verde, Nobres, Chapada dos Guimarães, Santo Antônio Leverger, Rosário Oeste, Tangara da Serra, Sinop, Sorriso, São Jose dos Quatro Marcos, Rio Branco, Vila Bela da Santíssima Trindade, Nova Mutum, Alta Floresta, Barra do Bugres, Pontes e Lacerda, Mirassol D’ Oeste, Arenápolis, Juína, Comodoro, Nortelândia, Araputanga, Nova Olimpia, Jauru, Nova Ubiratã, Juara, Tapurah, Guarantã do Norte, Denise, Sapezal, Rondonópolis, Pedra Preta,m Campo Verde, Jaciara, Alto Araguai, Alto Taquari, Guiratinga, Poxoréo,m São Felix do Araguaia, Confresa, Ara Garças, Barra do Garças, Torixoréo, Bom Jardim, Água Boa, Xavantina, Campinápolis, Querência, Novo São Joaquim e Canarana. 

Câmara de Deputados 

A Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados, aprovou nesta quarta-feira (2) requerimento de autoria do deputado Chico Lopes (PCdoB-CE) solicitando a realização de audiência pública para buscar a intermediação de diálogo entre a Federação Nacional de Bancos (Fenaban) e os bancários, em greve em todo o País, desde o último dia 19. 

O requerimento foi aprovado diante da justificativa de urgência para a busca de um entendimento que contemple as reivindicações da categoria e o interesse da sociedade, na retomada das atividades das agências bancárias, com segurança, qualidade de serviço e respeito aos trabalhadores.

Câmara Municipal de Cuiabá 

A greve dos bancários também foi destaque na Câmara de Cuiabá. O vereador Arilson da Silva (PT) reforçou na sessão do legislativo desta semana a defesa dos bancários em greve em Mato Grosso e repudiou a intransigência dos bancos, que só priorizam os lucros bilionários, não valorizam as pessoas, se negam em negociar com os trabalhadores e atender as reivindicações, como mais segurança e contratações nas agências.

Reivindicações

As principais reivindicações da categoria são reajuste salarial de 11,93% (5% de aumento real além da inflação), melhores condições de trabalho, com o fim das metas abusivas e do assédio moral que adoece os bancários, fim das demissões, mais contratações, aumento da inclusão bancária, combate às terceirizações, especialmente ao PL 4330 que precariza as condições de trabalho, além da aplicação da Convenção 158 da OIT, que proíbe as dispensas imotivadas.


Fonte: Contraf-CUT com Seeb MT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster