Crédito: Seeb Porto Alegre
Seeb Porto Alegre Mobilização dos funcionários no centro de Porto Alegre

Muita animação, barulho e bom humor deram o tom à caminhada dos banrisulenses, realizada no fim da manhã desta quinta-feira (17), no centro de Porto Alegre. O aquecimento para a manifestação, que reuniu mais de dois mil grevistas, iniciou em frente à Direção Geral do banco, na Rua Caldas Júnior, com apitaço, música e manifestação de dirigentes sindicais em carro de som.

Mobilizados, animados e decididos, os bancários do Banrisul continuam em greve há 29 dias devido ao impasse nas negociações específicas com a direção do banco.

O protesto, organizado pelo SindBancários e a Fetrafi-RS, também contou com a participação de representantes dos sindicatos de Novo Hamburgo, Litoral Norte, Rio Grande, Pelotas, Caxias do Sul, Alegrete, Passo Fundo, Vale do Caí, Santa Maria e Lajeado.

Após a concentração, os bancários em greve seguiram pelas principais ruas do centro até o Palácio Piratini, onde permaneceram em vigília enquanto uma comissão, integrada por sindicalistas e membros do Comando dos Banrisulenses, foi recebida por representantes do governo gaúcho.

Durante o trajeto da caminhada, dirigentes sindicais denunciaram a postura intransigente da direção do Banrisul nas negociações específicas.

“A greve é do conjunto dos trabalhadores do Banrisul. É com muita coragem e unidade que os funcionários do banco continuam a enfrentar sozinhos, um movimento que completa um mês nesta sexta-feira, mas temos fôlego para mais tempo se for necessário. Essa grande atividade é uma vitória para todos os banrisulenses”, garantiu o presidente do SindBancários, Mauro Salles.

Já o diretor da Fetrafi-RS, Carlos Augusto Rocha, ressaltou a disposição de luta dos banrisulenses. “A manifestação é o impacto da unidade sobre a intransigência da direção do banco, o assédio moral e as práticas antissindicais. O Banrisul deve assimilar que o movimento não vai retroceder, enquanto o banco não apresentar uma proposta digna”, destacou.

“Esperamos que o governo do Estado cumpra o compromisso de conscientizar a direção do banco de que é preciso retomar as negociações específicas o mais breve possível. Nossas reivindicações são coerentes e podem ser atendidas pela direção do Banco” salienta a diretora da Fetrafi-RS, Denise Corrêa.

A manifestação dos bancários do Banrisul também contou com o apoio da CUT/RS. “A Central Única dos Trabalhadores veio para somar-se à luta dos banrisulenses. Esperamos que a direção do Banrisul tome juízo e volte a negociar com a representação dos funcionários em greve. Para o bem do Brasil, o sistema financeiro deve distribuir renda, começando pelos trabalhadores que constituem o lucro dos bancos”, enfatizou o presidente da CUT/RS, Claudir Nespolo.

Liminar garante direito de greve dos bancários

A Fetrafi-RS garantiu na manhã desta quinta-feira o deferimento de liminar de antecipação de tutela pela qual o Banrisul fica proibido de adotar qualquer procedimento de pressão para obrigar retorno de funcionários em greve ao trabalho.

A decisão judicial também impede o Banrisul de falar em corte do ponto dos grevistas, considerando que os dias parados devem ser objeto de negociação coletiva.

O mandado expedido pelo juiz da 9ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, Gustavo Jaques, põe fim à intimidação feita pela direção do Banrisul aos trabalhadores através de BGX. O banco ameaçou cortar o ponto dos funcionários caso continuassem em greve.

A resposta da Fetrafi-RS à conduta ameaçadora da direção do Banrisul foi imediata. A entidade emitiu circular jurídica na terça-feira (15) para denunciar as tentativas de intimidação aos grevistas e destacar o artigo 9º da Constituição Federal, que assegura o direito de greve e a tomada de decisão sobre ela por meio de assembleia dos trabalhadores.

Fonte: Contraf-CUT com Fetrafi-RS e Seeb Porto Alegre

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster