Há pouco, Marcos Aurélio Araújo Braga, 36, viveu a emoção de ser pai. Fez planos para si e a recém-nascida. Mas nada se concretizará. O soldado da Polícia Militar está morto. Ele foi baleado na quarta-feira (30 de novembro), ao tentar evitar uma "saidinha de banco" na avenida Pontes Vieira, em Fortaleza.

De folga e à paisana, ele percebeu uma movimentação estranha na agência do Bradesco e perseguiu os bandidos. Eram dois homens numa moto vermelha escoltada por um Corola preto. O carro teria o motorista e dois passageiros. Placas não foram anotadas.

Braga foi atingido nas costas por tiros de pistola 380. Tombou com a moto no cruzamento das ruas Monsenhor Salazar com Barros Leal, no bairro São João do Tauape. Sequer teve como receber atendimento médico.

"Ele não foi morto como sendo policial; foi surpreendido por outro meliante que dava apoio num automóvel", disse o diretor da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Franco Pinheiro.

O soldado estava no Pelotão de Motos há três meses. Até então, servia na 5ª Companhia do 5º Batalhão, na Capital. Nos quadros da PM, entrara em 1994. "Ele era uma pessoa muito tranquila, que sempre tratava todos com muita educação. Era super operacional e não reclamava do trabalho", lembra auxiliar administrativo da 5ª do 5º, Roberta Matias Ribeiro.

Segundo o Comando Geral da Polícia Militar, Marcos Braga foi o 14º profissional da ativa assassinado em 2011 no Ceará. Desses, apenas um cumpria expediente.

O corpo do soldado será velado e enterrado nesta quinta-feira (1º), no cemitério Parque da Paz, no Passaré. "Ele era um cara pacato. Era um policial mediano, que não chegava atrasado, não faltava, não trazia problema. Ele gostava do que fazia", resumiu ao O POVO o comandante do Raio, major Márcio de Oliveira.

ENTENDA A NOTÍCIA

O soldado Braga percebeu movimentação suspeita no banco e tentou interceptar os bandidos. Não sabia, porém, que a moto com os dois indivíduos recebia cobertura de um carro. Na perseguição, o PM acabou baleado nas costas. Enterro acontece hoje, no cemitério Parque da Paz.

No banco, a dupla teria abordado uma mulher e, após Braga ser baleado e morrer, teria conseguido fugir com cerca de R$ 9 mil.

Durante todo o dia, o assassinato do soldado dominou os fóruns de discussão das redes sociais em Fortaleza.

Fonte: O Povo Online – Fortaleza

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster