A falta de resposta do Santander em relação aos problemas enfrentados pelos funcionários da Aymoré Financiamentos está causando revolta. O Sindicato dos Bancários de São Paulo continua recebendo denúncias de vários departamentos que tratam da falta de condições de trabalho, do não-recebimento de hora extra pelos trabalhos nos finais de semana, além do desrespeito à jornada diária de seis horas. O mesmo problema acontece em várias partes do país.

Um trabalhador ouvido pelo Sindicato se diz indignado com a situação. "Somos obrigados a trabalhar de graça sem inclusive o tíquete refeição. Hora extra é uma palavra que não existe no Santander, eles nos obrigam a trabalhar sem nenhuma estrutura. Considero isso trabalho escravo", desabafa um bancário que não será identificado.

O Sindicato já levou os problemas ao Comitê de Relações Trabalhistas (CRT). O banco ficou de verificar, mas até agora não teve respostas aos questionamentos dos trabalhadores do Aymoré de vários estados, que também reclamam da pressão pelo cumprimento de metas inatingíveis.

Fonte: Seeb São Paulo

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster