SEEB/MT

Ato realizado  em alusão as propostas miseráveis e insignificantes apresentadas pelos bancos - SEEB/MT

Ato realizado em alusão as propostas miseráveis e insignificantes apresentadas pelos bancos

Depois do “Chá da Miséria” realizado na semana passada, o Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (SEEB/MT), desta vez, distribuiu bananas durante o ato realizado na porta do Itaú, nesta quarta-feira (21), em alusão as propostas miseráveis e insignificantes apresentadas pelos bancos.

Segundo o presidente do Sindicato os banqueiros não estão preocupados com a Greve, pois eles não têm responsabilidade social com os clientes e nem com os trabalhadores. “Os banqueiros estão dando uma banana aos bancários e aos seus clientes, pois ao apresentarem propostas rebaixadas, achatam os salários dos trabalhadores e aumentam a exploração. Portanto, enquanto não apresentarem uma proposta que atenda as nossas reivindicações, a greve vai continuar”, frisou o presidente do SEEB/MT, José Guerra, conclamando a categoria para manter a firmeza na greve.

Para o presidente da CUT/MT e diretor do Sindicato, João Luiz Dourado, os banqueiros estão sendo intransigentes e gananciosos em não querer garantir aumento de salário real aos trabalhadores. “Os banqueiros não estão preocupados com os clientes que são explorados com as altas taxas de juros e menos ainda com os seus funcionários que assediam com as cobranças abusivas de metas. Essa luta não é só da categoria bancária e de toda a população, pois não lutamos apenas por aumento salarial, queremos redução das taxas de serviços, redução dos juros e aumento das linhas de créditos”, afirmou, pedindo a compreensão e a colaboração da população.

O bancário do Santander, ex-presidente do Sindicato e vereador Arilson da Silva, que também participou do Ato, acrescentou que a greve dos bancários também é por mais investimento em segurança, tecnologia e melhores condições de trabalho e de saúde. “Temos um sistema financeiro que explora os seus clientes e massacra os seus trabalhadores, por isso a Greve é justa e necessária. Queremos um dia anunciar na Câmara de Vereadores que temos um sistema financeiro digno”, sugeriu.

Fonte: SEEB/MT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster