Crédito: Camila de Oliveira – Afubesp
Camila de Oliveira - Afubesp
Banespianos cobram respeito e dignidade do Santander

“O Santander que tome cuidado, banespiano não vai ceder. Vai lutar por seus direitos, nunca vai esmorecer. Não somos privilegiados, somos vítimas dessa instituição. Reconheça o seu erro e faça a devida retratação”.

A letra da música cantada pelas 150 pessoas, em média, em frente do prédio do Banco Central na Avenida Paulista, em São Paulo, na quinta-feira, dia 1º de agosto, deixou evidente o que esperam os aposentados pré-75 do Banespa: defender a dignidade e os direitos do segmento, o resgate da Resolução 118/97 do Senado Federal – que trata dos títulos públicos destinados ao pagamento das aposentadorias dos pré-75 – e os reajustes das complementações que ficaram congeladas por cinco anos.

Na oportunidade, foi distribuída à população uma carta, endereçada ao BACEN, mais especificamente aos senhores José Lima de Siqueira e Roberto Rodrigues Pandelo, que foi protocolada na instituição. O documento relembrou os fatos ocorridos a partir de 1994, quando houve a intervenção do Banco Central, e conclui reivindicando o cumprimento de leis e a punição dos responsáveis pelos descumprimentos e omissões.

A atividade foi coordenada por Guilherme Setembre, que, entre outros temas, comentou os “algozes” dos banespianos. “A Previc é uma delas. Ela não fez com que o Banespa cumprisse a Lei 6435 de 1977, que previa que devíamos estar no Banesprev logo que ele foi fundado. Assim teríamos os nossos proventos reajustados tranquilamente, porque os títulos teriam ido para o Banesprev”.

O presidente da Afubesp, Camilo Fernandes, parabenizou os presentes e os organizadores da atividade pela iniciativa. “Não é sentado em casa que vamos conseguir resgatar a dignidade e o respeito aos banespianos, mas fazendo isso que vocês estamos fazendo hoje”, comentou Fernandes.

“Essa é apenas mais uma batalha da guerra que temos travado há muitos anos pelo Resgate da Resolução 118/97 do Senado Federal e da luta que fazemos para resgatar os cinco anos de congelamento a que vocês foram submetidos”, disse.

O presidente da Afubesp ressaltou ainda que a união e a mobilização fez com que os banespianos conseguissem arrastar o processo de privatização por mais de seis anos. “E foi a nossa resistência, a nossa luta a responsável por mantermos o Banesprev e a Cabesp. Lá em 1999, quando o saiu o edital de privatização, o documento dizia que o futuro controlador tinha responsabilidade com o Banesprev de 18 meses e com a Cabesp de 60 meses após a compra. Isso quer dizer, que depois de um 1 ano e 6 meses de adquirido, o banco poderia abrir mão do Banesprev, passados 5 anos, poderia abrir mão da Cabesp. A realidade é que já são quase 13 anos e ainda temos os dois, não por uma benesse do Santander, mas sim pela luta que travamos durante todos esses anos. E milhares de banespianos também conseguiram se aposentar de lá pra cá”, lembrou Fernandes.

Ele terminou conclamando os banespianos a se manterem unidos nas questões comuns. “Desde que assumi a presidência da Afubesp tenho dito sempre que embora as associações tenham ideologias diferentes, no que nos é comum temos e devemos caminhar lado a lado. Quando falar de Cabesp e de Banesprev, de banespiano, temos que estar junto, porque quando brigamos apenas um lado sai ganhando e sabemos que é o lado do patrão, do Santander.”

A Comissão Nacional dos Aposentados do Banespa (CNAB) também participou do evento com Sérgio Zancopé e Oliver Simioni. Este último ressaltou que é preciso estar atento na defesa de Banesprev e Cabesp, que juntas concentram cerca de R$ 16 bilhões, um patrimônio dos banespianos.

“Se queremos manter nossas conquistas, recuperar nossos direitos, temos mesmo que ficar de pé aqui, temos que ir a Brasília para cobrar obediência à Resolução do Senado para atacarmos o Santander e as instituições que sejam contra o atendimento de nossos direitos. Nossa luta é mais política do jurídica”, ressaltou Oliver.

Apoio da Afubesp

A iniciativa de realizar a manifestação surgiu de um grupo de aposentados pré-75 na internet. E como não foge às lutas dos banespianos, a Afubesp apoiou o protesto disponibilizando faixas, banners e a aparelhagem de som com microfones para que os presentes possam dialogar com a população, bem como forneceu água mineral para os participantes.

Fonte: Érika Soares – Afubesp

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster