Crédito: O Pantanal Online
O Pantanal Online Com a onda de ataques a bancos e a caixas eletrônicos, o Sindicato dos Bancários de Mato Grosso (Seeb-MT) destaca a necessidade de reforço na segurança no início deste mês de novembro, uma vez que o fluxo de numerário aumenta nas agências devido aos pagamentos mensais e ainda com a primeira parcela do 13º salário. Os ataques ocorreram na quinta-feira, dia 10, em Colniza (1.065 km a noroeste de Cuiabá), nas agências do Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi) e do Posto de Atendimento (PAB) do Bradesco .

Dados do Seeb-MT contabilizam 33 ataques a bancos em Mato Grosso neste ano, número que supera 2010 quando foram 19 ações criminosas durante todo ano. Em Colniza, os bandidos agiram no estilo "Novo Cangaço", ou seja, chegaram atirando nas fachadas de vidro e atemorizaram os clientes que estavam no local. Funcionários foram feitos reféns, levados pelos bandidos durante a fuga, e libertados em seguida. O valor roubado nas duas agências não foi comunicado.

O presidente do Sindicato, Arilson da Silva, ressalta a preocupação do Seeb-MT com os ataques a bancos que tem sido maior no início de mês, colocando em risco bancários e clientes. Para ele, as consequências são tanto materiais quanto psicológicas, chegando até mesmo a desencadear traumas.

"Mais uma vez os bandidos atemorizaram a população, desta vez em Colniza. Isso deixa claro que os bancos devem investir em segurança para dificultar a ação das quadrilhas. As fachadas blindadas são uma das nossas reivindicações, além de porta giratória, câmeras de segurança dentro e fora das agências para identificar os bandidos, entre outros. Neste início de mês, a segurança pública deve agir estrategicamente, pois a movimentação nos bancos aumenta. A força tática deve estar atuante nestes momentos", conclui o presidente.

Fonte: Marcela Brito – Seeb-MT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster