Crédito: Seeb São Paulo
Seeb São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mobilização da categoria chega ao centro financeiro de São Paulo

A chuva não atrapalhou o lançamento da Campanha Nacional dos Bancários 2014 na Avenida Paulista, nesta quarta-feira 13. As reivindicações, entregues à federação dos bancos (Fenaban) na segunda 11, foram destacadas para clientes e bancários de agências localizadas na Praça Oswaldo Cruz, início da Avenida Paulista. 

A pipoca e os personagens do cinema lembravam o mote deste ano em São Paulo. “Bancos em 3D: Demitem, Desrespeitam e Deprimem os trabalhadores. Vamos mudar essa história!” 

“A manifestação na Paulista, conhecida como centro financeiro do país, é importante para reforçar junto a clientes e bancários que a Campanha Nacional começou”, disse a presidenta do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira. 

Agências da região receberam a visita de dirigentes sindicais que levaram informações sobre o período de intensificação das mobilizações. Personagens como Bank Vader, o lado negro da força financeira, e os Caçadores de Assédio, cujos alvos são os fantasmas do assédio moral, divertiram a população. 

A estreia cinematográfica ainda contou com trilha ao vivo tocada por 19 componentes da bateria da escola de samba Tom Maior. 

Apoio

“Não só os bancários estão na luta, mas os usuários apoiam porque sabem das tarifas e juros altos cobrados pelos bancos, que têm lucros recordes e, assim, podem atender todas as reivindicações”, afirma Juvandia. 

“O lucro do Bradesco do último trimestre foi recorde e os bancários trabalham muito. Quem dá esse resultado são os trabalhadores”, afirma o ex-árbitro de futebol, que apitou o famoso gol de placa do Pelé no Maracanã em 1961, o lúcido Olten Ayres de Abreu, aos 85 anos. 

“Os bancos ganham cada vez mais e meu apoio aos bancários é como cliente e como cidadã, por uma questão de justiça”, afirma a aposentada Dora Kalef, correntista do Itaú há 30 anos. 

Um funcionário do Bradesco considerou muito boa a estreia da Campanha “para criar empatia com a população”. 

Os bancários querem reajuste salarial de 12,5%, sendo 5,4% de aumento real, além da inflação projetada de 6,76%. Além disso, estão entre as principais reivindicações participação nos lucros (PLR) de três salários mais R$ 6.247 e vales alimentação, refeição, 13ª cesta e auxílio-creche/babá no valor de R$ 724 cada. 


Fonte: Contraf-CUT com Seeb São Paulo

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster