Bradesco41013 DSC 3913

Bradesco41013 DSC 3913
Advogados, Oficiala do TRT 13ª Região e agentes da Polícia Federal, na Ag. Centro do Bradesco, em João Pessoa-PB

O 16º dia de greve na base do Sindicato dos Bancários da Paraíba foi bastante movimentado na capital, nesta sexta-feira (4). O Tribunal Regional do Trabalho requisitou a Polícia Federal para cumprir os Interditos Poibitórios para a liberação dos acessos às agências do Bradesco e do Santander.

A Agência Centro do Bradesco, situada na rua Duque de Caxias, onde acontece a maior concentração de bancários nos piquetes de esclarecimento, recebeu a visita dos fiscais do Procon de João Pessoa, ainda na parte da manhã. O Procon Municipal foi verificar se o Banco estava cumprindo o acordo firmado com o Ministério Público da Paraíba, de abastecer os caixas eletrônicos e fornecer envelopes para depósitos, além de não penalizar os clientes com cobranças de juros, multas e tarifas por conta da greve dos bancários.

Por volta do meio dia, chegou àquela agência uma Oficiala de Justiça, do TRT 13ª Região, acompanhada de agentes da Polícia Federal, para fazer cumprir as determinações do mandado liminar de Interdito Proibitório, para a liberação do acesso aos clientes e aos funcionários que desejassem trabalhar.

Marcelo Alves, secretário geral do SEEB – PB, que coordenava o piquete de esclarecimento, conversou com a representante da Justiça do Trabalho e com os policiais que lhe acompanhavam, esclarecendo que os bancários cumpriam a decisão soberana da categoria e que também não iriam impedir o cumprimento de uma decisão judicial.

“Apesar de discordarmos do uso de interditos proibitórios para tentar barrar o movimento legítimo dos bancários, acatamos a decisão judicial e já buscamos a solução jurídica para o caso. Esperamos que a Justiça atenda os bancários com a mesma celeridade que atende os banqueiros. Agindo de forma responsável, também preservamos o patrimônio da categoria, ao evitar que o Sindicato seja penalizado com o pagamento de multa diária no valor de R$ 5 mil. Até porque a greve continua”, argumentou o secretário.

Abuso

O dirigente sindical criticou severamente a postura dos advogados contratados pelo Bradesco, que mais uma vez extrapolaram suas atribuições. “Não entendemos como é que os profissionais do direito esquecem tão facilmente a ética. Essa não foi a primeira vez que esses advogados, além de utilizarem um artifício jurídico para atrapalhar a greve, ainda se dão ao desfrute de acompanhar a execução das medidas resultantes, inclusive intimidando os bancários e afrontando seus representantes. Isso é uma vergonha!”, denunciou Marcelo Alves.

A greve continua!

Com a abertura das agências do Bradesco e do Santander, através de medidas judiciais, o quadro de unidades fechadas caiu para 81,48% na base do SEEB – PB. Agora, a adesão nos bancos públicos é de 96,2% e nos privados é de 60,71%. Mas isso não enfraquece a luta.

Muito pelo contrário, vamos ampliar a mobilização, realizando uma manifestação em frente à Agência Centro do Bradesco, na manhã nesta segunda-feira (7), em protesto contra as práticas antissindicais do Banco da Cidade de Deus, que vem coagindo e constrangendo seus funcionários desde o início da greve.

Na ocasião, também vamos aproveitar a revolta da categoria com a ridícula proposta de aumento real de 0,97% nas verbas salariais e 1,34% no piso e convocar os bancários para a Assembleia Geral Extraordinária, segunda-feira (7), às 19h, no Sindicato.

A diretoria do SEEB – PB acompanha a orientação do Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, e defende a rejeição da proposta e a manutenção da greve.

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster