Presidente da Fetec-PR fala na mesa de abertura do evento, em Curitiba

A importância da unidade nacional, junto com a mobilização, marcou na tarde desta quarta-feira (15) a abertura do Encontro Nacional dos Funcionários do HSBC, no Espaço Cultural do Sindicato dos Bancários de Curitiba, na capital paranaense. O evento, que conta com a participação de cerca de 100 dirigentes sindicais de todo país, vai até sexta-feira (17), quando será definida a pauta específica de reivindicações dos trabalhadores do banco inglês.

A mesa de abertura foi formada pelo secretário de organização do ramo financeiro da Contraf-CUT, Miguel Pereira, pelo presidente do Sindicato de Curitiba, Otávio Dias, pelo presidente da Fetec-PR, Elias Jordão, pela secretária de formação da Fetec Centro-Norte, Sônia Rocha, pelo coordenador da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do HSBC, Carlos Kanak, e pelo vice-presidente da CUT-PR, Márcio Kieller.

Os dirigentes sindicais analisaram a conjuntura nacional, denunciaram as fraudes e ilegalidades cometidas pelo banco no mundo, criticaram a proliferação de correspondentes bancários e a precarização do atendimento aos clientes, alertaram para as ameaças do projeto de lei (PL) 4330 de terceirização, enfatizaram os problemas enfrentados pelos trabalhadores do banco, como as demissões, a rotatividade, o corte de empregos, as mudanças unilaterais no plano de saúde e a piora das condições de trabalho, sobretudo, diante das metas abusivas, do assédio moral e do adoecimento de funcionários.

“O momento é importante para alinhar os debates entre as entidades sindicais de todo país frente aos ataques que o banco vem fazendo ao emprego e às condições de trabalho. Estamos aqui juntos para qualificar a atuação do movimento sindical, a fim de mudar essa realidade a partir da unidade e da mobilização dos trabalhadores”, destaca Kanak.

Após as manifestações dos representantes das entidades, a economista Viviam Rodrigues, da subseção da Contraf-CUT do Dieese, fez uma apresentação sobre o sistema financeiro e destacou os números do balanço de 2012 do HSBC. Ela mostrou que o banco é altamente lucrativo no Brasil e que não razões que justifiquem a política desumana de emprego da instituição.

Para o secretário de Assuntos Jurídicos da Contraf-CUT, Alan Patricio, este primeiro dia de encontro foi importante para reforçar a necessidade de promover a unidade nacional e mobilizar os trabalhadores. “Queremos reforçar a luta dos bancários para conquistarmos mais avanços para a categoria e a sociedade”, enfatiza.

O encontro continua nesta quinta-feira (16) com exposições da Contraf-CUT sobre a organização dos bancários e as ameaças do projeto de terceirização no Congresso Nacional. Haverá também grupos de trabalho sobre três grandes temas:

1. emprego;
2. remuneração;
3. saúde e condições de trabalho.

Na sexta-feira será realizada uma plenária final para a aprovação da pauta específica de reivindicações dos funcionários e do plano de mobilização.

Fonte: Contraf-CUT

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster