Em reunião ocorrida na quarta-feira, dia 1º de julho, em Brasília, com diversas entidades, entre elas a Afubesp, os advogados do Santander admitiram a possibilidade de acordo para ser incluído em ações judiciais que objetivam a preservação de direitos dos aposentados e pensionistas pré-75 do Banespa.

O encontro, coordenado pelo deputado federal Nelson Marquezelli, foi pedido pelo banco, por conta da crescente possibilidade de abertura de uma CPI do Santander para investigar o caso dos títulos federais emitidos e desbloqueados para pagar complementações e pensões do pessoal pré-75, hoje o Plano V do Banesprev.

Os advogados Arnaldo Laudisio e Renata Quartim representaram o banco espanhol. "Quero ser bem pragmático. Não queremos discutir índices distintos, defendendo teses como de INPC ou GPDI. Queremos trazer um valor para um acordo global, apresentar uma quantia", disse Laudisio, na abertura da reunião.

Afubesp rebate

Diretores da Afubesp rebateram as argumentações do banco, afirmando que a questão deve ser debatida em três pontos: valor das gratificações semestrais, quantias retroativas aos salários desde 2001 e reflexos futuros.

O presidente da Afubesp, Paulo Salvador, considera positiva a atitude. "A pressão funcionou e o banco reabriu negociações", diz. Ainda assim, ele alerta: "vamos aguardar uma posição concreta do Santander, pois em 2004 uma negociação foi aberta e a proposta feita foi irrisória".

Além de Paulo Salvador, representaram a Afubesp os integrantes da Comissão Nacional dos Aposentados (CNAB), Herbert Moniz, Oliver Simioni, Sérgio Zancopé e Carlos Pupim. Outra reunião, para que o banco apresente uma proposta, foi marcada para o próximo dia 5 de agosto, em Brasília.

Fonte: Afubesp

Walmar Pessoa
Author: Walmar Pessoa

WebMaster